Deep Web

Se você veio até aqui, é porque provavelmente tomou conhecimento sobre a Deep Web através de pesquisas na internet, encontrou meu canal e foi direcionado para a leitura desse artigo. Neste, pretendo esclarecer algumas das dúvidas que o público geral costuma ter sobre o assunto, e lhe dar as primeiras orientações para se iniciar na exploração das redes da Deep Web.

Por alguma razão, a Deep Web é um tema extremamente midiático e sensacionalizado. Em qualquer veículo, seja ele impresso, de televisão ou na internet, são poucas as reportagens sérias sobre o assunto. Essa apostila é uma delas.

Aqui, apresentarei a definição técnica e prática do que é a Deep Web. Esqueça qualquer coisa que você leu sobre camadas, conteúdos secretos, paranormalidade, entre outros. A realidade nesse caso é, felizmente ou infelizmente, um pouco diferente do que é ditado pelo senso comum.

Antes de definirmos o que é a Deep Web, será necessário definirmos o que é a Internet na qual você está navegando agora. Como talvez já deva saber, a rede mundial de computadores pode ser ilustrada como um fio, interligando diversos equipamentos. Entre eles, os servidores, a partir dos quais sites são armazenados e operados, de forma que tudo que passa por eles é centralizado. Já os computadores (clientes) são conectados a um provedor de internet (ISP), responsável por realizar a conexão entre esses e a rede.

t

Durante o processo, todo o conteúdo passa por um servidor central. Por consequência, os pacotes de informação podem e vão ser acessados, lidos e provavelmente armazenados nesse servidor. Além do mais, caso o mesmo seja desligado da internet, o serviço fica fora do ar, de forma temporária ou permanente.

Assim, os usuários (ou clientes) tornam-se dependentes de um servidor. É justamente para evitar isso que a Deep Web existe. Através dela, usuários podem se comunicar sem depender de um servidor central, e, na maioria dos casos, de forma anônima.

Mas como isso é possível? A descentralização é dada graças a chamadas redes peer-to-peer (ou P2P). Nelas, cada computador (agora chamado de note), através de seu respetivo provedor), se conecta com outros computadores integrantes da rede, de forma que a transmissão de pacotes é feita diretamente de node para node.

2

Toda essa infraestrutura é gerenciada por um software, que deve estar presente em cada computador da rede P2P. Cada software corresponde à uma rede P2P.

Através do método acima, livramo-nos de dois problemas: o serviço sempre estará disponível, uma vez que não há um servidor central para ser desligado (salvo em casos onde todos os computadores se desconectam simultaneamente), e informações que dizem respeito à determinados nodes passarão apenas por eles.

Essa é a base de toda rede da Deep Web. É natural que alguns desses softwares gerenciadores apresentes funcionalidades extras, como encriptação do tráfego, sistema para mascarar o protocolo de IP, código aberto, entre outros. Quanto mais dessas funcionalidades uma rede apresentar, mais “pura” digamos que ela é.

Assim, os principais pilares para uma rede P2P ser classificada como parte da Deep Web são:

  • Descentralização;
  • Anonimato;
  • Segurança de Pacotes;
  • Código Aberto.

Provavelmente você já leu ou assistiu em algum lugar que a Deep Web é dividida em camadas, tendo níveis que aumentam de profundidade conforme tipo de conteúdo postado ou dificuldade de acesso.

Tal definição é falsa por dois motivos: a Deep Web é composta por redes distintas e independentes entre si. Logo, é impossível classifica-las em numerais ordinais, e muito menos em níveis. Além disso, qualquer conteúdo pode ser postado em qualquer lugar, e dificuldade de acesso é um conceito relativo.

Que tipo de conteúdo posso encontrar na Deep Web? Como mencionado, uma rede da Deep Web – principalmente as mais populares – possuem, além da descentralização, forte anonimato. Isso significa que algo postado por lá não poderá ter seu autor rastreado, exceto em situações de falha humana (as quais serão apontadas no decorrer desta apostila).

Logo, qualquer conteúdo que necessite de tal anonimato será encontrado em muito maior proporção na Deep Web do que na internet comum. Isso inclui, em sua maioria, atividades ilegais, como comércio de produtos ilícitos e pornografia ilegal. Além disso, pessoas que vivem em situação de repressão podem se valer do anonimato para realizar denúncias e se comunicar sem risco de serem presas ou executadas.

A Deep Web também pode ser uma vasta fonte de conhecimento, através de bibliotecas – nas quais material é compartilhado sem restrições autoriais – e de fóruns que permitem discussões irrestritas. Não é incomum encontrarmos também materiais que não haveriam necessidade alguma de serem postados lá, como brincadeiras e episódios de My Little Pony (sim!).

Segue uma lista de conteúdos com maior probabilidade de serem encontrados lá.

  • Tráfico de drogas e armas;
  • Venda de produtos variados, geralmente ilegais;
  • Tutoriais hackers;
  • Provedores de e-mails anônimos;
  • Fóruns de variedades, nos quais pessoas que não querem ser identificadas participam;
  • Portais de notícias que geralmente são censurados;
  • Vazamento de documentos e informações;
  • Sites comerciais de pornografia legal e ilegal;
  • Pessoas com gostos um pouco estranhos contando sobre eles;
  • Crimes financeiros;
  • Bancos de dados;
  • Bibliotecas;
  • Download de conteúdos piratas;
  • Supostos arquivos de OVINI's e outras coisas paranormais;
  • Enigmas;

É importante destacar que algo de cunho paranormal encontrado lá não se difere do mesmo conteúdo encontrado na internet comum. Não é porque veio da Deep Web, que isso significa que ele seja verdadeiro ou tenha origem sobrenatural.

Em contrapartida, a Deep Web não é um oráculo. Você não terá acesso a milhões de informações sobre tudo, muito menos conseguirá entrar em bancos de dados de governos ou universidades e nem visualizar provas de concursos com antecedência. Tais bancos de dados são protegidos de outras formas, que não têm relação alguma com as redes da Deep Web.

Considere que, para um conteúdo ser postado na Deep Web, é preciso que alguém o poste. Se você procura por algo extremamente específico (já me pediram link para baixar o filme dos Trapalhões na Deep Web) dificilmente terá sucesso em achar simplesmente porque ninguém o postou. Nessas situações, é infinitamente mais viável procura-lo no Google.

Por ser uma língua internacional, a maioria dos conteúdos encontrados em qualquer rede estará em Inglês. Terá de se acostumar caso pretenda navegar.

Aproveitarei para comentar a ideia de que a Deep Web é um lugar perigoso. Para te convencer do contrário, usarei um encadeamento lógico.

As principais redes da Deep Web têm, por característica, o anonimato e a segurança. Logo, pessoas as usam para atividades ilegais. Elas só fazem isso por estarem seguras, por estarem livres de qualquer responsabilidade pelo que postam – inclusive por parte de agentes policiais.

Logo, você também estará. O programa garante essa segurança, o que privilegia tanto criminosos, quanto pessoas dentro da legalidade. Assim, você não será alvo de hackers. A chance de isso acontecer somente navegando em uma rede da Deep Web tende à zero.

Existem criminosos e agentes policiais na Deep Web, mas a não ser que você dê motivos, ninguém irá fazer nada contra você, simplesmente porque ninguém consegue determinar quem você é.

Para um hacker dar motivos seria fazer downloads sem tomar algumas medidas de segurança antes. Para um agente policial, praticar qualquer atividade ilícita. Se você não cometer crimes, pode ficar tranquilo em relação aos policiais, e se você se proteger, não há o que temer em relação a criminosos.

Além disso, a maioria das redes de compartilhamento de sites já contam com VPN. É impossível acessá-las sem camuflar seu endereço de IP. Logo, você não será “rastreado”, como adoram dizer.

Existe a possibilidade de você acidentalmente cair em um site que preferia não ver, assim como aconteceria na internet comum. Nesse caso, basta sair do mesmo.

Se todos esses anos de navegação na internet não lhe traumatizaram, garanto que não será um site visto de relance que o fará. Além do mais, você só encontrará (e verá por um tempo maior que alguns segundos) tais conteúdos se realmente os procurar. Por experiência própria, digo que já vi muito mais coisas que preferia não ver scrollando meu feed no Facebook do que navegando na Deep Web.

Sem contar que a maioria das “fotos da Deep Web” que se encontra ao pesquisar o termo vieram de vários lugares, menos da Deep Web. Assista esse vídeo https://youtu.be/Wbgb3lgMluA caso queira saber mais.

Falaremos agora sobre motores de busca. Antes disso, irei lhe propor um exercício, afim de facilitar a explicação.

Imagine a internet comum e a Deep Web como dois universos. São incrivelmente grandes, com um número imenso de corpos celestes (galáxias, estrelas, planetas, etc) o número de elementos que há nesses universos só não é maior que uma coisa: o espaço vazio que também há neles.

Agora, imagine que na internet comum pode-se viajar para qualquer lugar desse universo sem maiores problemas. Logo, o espaço vazio deixa de importar, afinal, ele não atrapalha em nada. Isso representa as engines de busca, como o Google.

Já na Deep Web não há como chegar em qualquer lugar com tanta facilidade. Logo, é impossível conhecer tudo o que existe nela, uma vez que a probabilidade de encontrar um espaço vazio é infinitamente maior que a de encontrar algum conteúdo. Existem engines que chegam perto disso, mas ainda não se comparam ao poder das que temos na Surface.

É aí que entra a parte de mitologia virtual. Por ser um espaço desconhecido, qualquer um está livre para fazer as suposições que desejar, mas são apenas suposições. Justamente por isso, existe tanta especulação sobre o tema.

Por essa razão, a melhor forma de encontrar conteúdos na Deep Web é através de diretórios de links, sites que postam links atualizados frequentemente. É necessária alguma sorte para encontrar o que procura com facilidade. Outra opção também é pedir por indicações de links em fóruns e comunidades voltadas ao assunto.

Além disso, recomendo acompanhar essa playlist https://youtu.be/g1KUu0pWmnc?list=PLIevgZoV2cAh1qICQoYNH9hkWk4tgcyjM, na qual posto, mensalmente, novos links em diversas redes da Deep Web.

É perfeitamente natural que todo usuário se mostre um tanto receoso antes de adentrar na Deep Web. Porém, com algumas dicas simples de navegação, você dificilmente correrá riscos.

De início, saiba que uma rede já é programada para que as devidas medidas de segurança sejam tomadas pelo próprio programa. Por exemplo, o Tor camufla o IP do usuário, a Freenet criptografa as páginas armazenadas em seu computador, e assim por diante. Sendo assim, nenhum programa adicional é necessário, basta uma mudança de hábito.

A navegação em páginas (sem interação) também costuma ser segura. É impossível a execução de qualquer script em páginas acessadas sem a permissão do usuário, ainda mais navegando-se pelo Tor.

Apesar da navegação ser quase sempre anônima e segura, a partir do momento em que um arquivo é baixado, ele passa a se localizar na máquina. Desse ponto em diante, o anonimato propiciado pela rede não é mais suficiente, uma vez que, a partir de seu desligamento, o arquivo ainda está lá, e, caso contiver algum código malicioso, pode permitir o rastreio e causar danos às vítimas.

De início, digo para evitar terminantemente o download de qualquer arquivo cuja posse seja ilegal, como pornografia infantil, uma vez que, ao fazer o download, estará cometendo um crime e pode ser responsabilizado pelo ato.

Quanto a outros arquivos, os riscos que corre ao baixa-los são exatamente os mesmos que você já está acostumado a correr na internet comum.

A não ser que o arquivo em questão contenha um trojan, não existem riscos em sua posse. Sendo assim, antes de realizar um download, recomendo investigar sua procedência. Eis algumas instruções:

O domínio onde ele está hospedado possui boa reputação? Um exemplo de serviço com boa reputação são bibliotecas conhecidas. Um exemplo oposto disso é um programa multiplicador de Bitcoins que você encontrou enquanto navegava por um diretório de links.

É um arquivo de posse ilegal? Não baixe. Além de cometer um crime vários arquivos do tipo são postados como armadilhas para capturar criminosos. Se é um tutorial sobre falsificar impressões digitais por exemplo, a simples posse do arquivo não tem nenhuma implicação legal. Nesse caso, passe para as outras regras.

Qual a extensão do arquivo? Normalmente, arquivos como imagens, vídeos ou livros são menos propensos a conter ameaças. Evite os executáveis, entradas de registro, dll’s e outras extensões destinadas à arquivos do sistema. Caso encontre uma extensão desconhecida, pesquise sobre ela.

Após realizar o download, uma eventual infecção por trojan só ocorreria após o arquivo ser executado. Sendo assim, aproveite para testá-lo em scanners de vírus.

Caso ainda esteja receoso, pode abri-lo em uma máquina virtual ou sandbox. Essas duas ferramentas restringem a execução do arquivo para um ambiente controlado, evitando modificações na máquina original.

Quando se procura participar de comunidades, frequentemente o usuário depara com sites que exigem algum tipo de cadastro, normalmente fornecendo algumas informações.

Não recomendo expor informações verdadeiras em comunidades na Deep Web. Isso por que, caso a comunidade em questão esteja envolvida com um tópico ilegal e seja tomada por agentes policias, seus dados estarão associados com ela – e não por que hackers podem pegar suas informações e usar elas contra você, isso não acontece.

Sendo assim, use apelidos, dados falsos e o que mais for necessário para resguardar sua privacidade, afinal o anonimato depende também do usuário.

Outro tema recorrente é a questão de compras. A Deep Web é também conhecida pelos diversos mercados virtuais onde todo tipo de mercadoria é vendida. Não é necessário relevar que não recomendo a compra de nenhum item ilegal.

Porém, com exceção de restrições alfandegárias e impostos, não há problemas na compra de outros tipos de itens. Porém, há algumas coisas que você deve saber.

Não há a quem recorrer caso uma compra na Deep Web não ocorra conforme suas expectativas. Sendo assim, tais negociações jamais terão o mesmo nível de confiabilidade existente em sites como o Mercado Livre.

Logo, a única forma de diferenciar um golpe de uma negociação séria é através da reputação do site vendedor. Para tanto, pergunte sobre o mesmo em diversos fóruns, e procure por usuários que já realizaram compras lá. Analise o feedback recebido e decida com base nessas informações.

A forma de entrega da mercadoria varia. Alguns sites possuem sua área de atuação restrita à uma região, outros despacham a mercadoria pelo correio e outros usam serviços terceirizados de entrega. Todos esses detalhes devem ser informados no site em questão.

Além disso, a transação comercial provavelmente será feita através de criptomoedas, mais especificamente, Bitcoins. Sendo assim, você precisará antes se familiarizar com essa forma de negociação. Recomendo estudar sobre o assunto em https://www.youtube.com/watch?v=Ydsqv8mysBc.